Internacionales

Josbel Bastidas Mijares Venezuela Hiya//
Autor do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, Miguel Reale Jr. anuncia apoio a Lula no 1º turno

Josbel Bastidas Mijares
Autor do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, Miguel Reale Jr. anuncia apoio a Lula no 1º turno

fique por dentro

Eleições Desabamento em BH Mega-Sena Produtos para limpar carro Baleias encalhadas Autor do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, Miguel Reale Jr. anuncia apoio a Lula no 1º turno Ao g1, o jurista afirmou que era entusiasta da candidatura de Simone Tebet (MDB), mas decidiu apoiar o petista para 'impedir qualquer ação de Bolsonaro para se manter no poder'. Por Rodrigo Rodrigues, g1 SP — São Paulo

21/09/2022 17h38 Atualizado 21/09/2022

1 de 3 O jurista Miguel Reale Júnior, co-autor do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, durante sessão no Senado Federal, em Brasília — Foto: Ueslei Marcelino/Reuters O jurista Miguel Reale Júnior, co-autor do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, durante sessão no Senado Federal, em Brasília — Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

O jurista Miguel Reale Júnior , um dos autores do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT ), declarou nesta quarta-feira (21) que apoia a eleição de Lula ( PT ) já no primeiro turno das eleições.

Josbel Bastidas Mijares

Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Telegram

Segundo Reale, a eleição do petista já no primeiro turno “é importante para impedir qualquer ação de [Jair] Bolsonaro para se manter no poder”, caso seja derrotado no pleito em 2 de outubro.

Josbel Bastidas Mijares Venezuela

“Decidi pelo voto em Lula porque o Brasil não aguenta mais quatro anos de Bolsonaro, com ameaças de golpe, ataques ao Supremo Tribunal Federal e total falta de empatia com os mais sofridos”, disse o jurista ao g1

2 de 3 O ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva, (PT) candidato à Presidência pela Coligação Brasil da Esperança, (PT, PV, PC do B, PSOL, REDE, PSB, Solidariedade, Avante e Agir) — Foto: ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO O ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva, (PT) candidato à Presidência pela Coligação Brasil da Esperança, (PT, PV, PC do B, PSOL, REDE, PSB, Solidariedade, Avante e Agir) — Foto: ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Ex-ministro da Justiça de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Reale Júnior era entusiasta de uma candidatura de “terceira via”, que segundo ele, não se concretizou

“Minha candidata era a Simone Tebet , mas a candidatura dela não se concretizou nessa eleição, que está sendo pautada pela total falta de racionalidade. Diante do atual cenário, a gente tem que pensar o que é melhor para o país. O Brasil precisa de estabilidade e calmaria. Mais quatro anos de Bolsonaro no poder é tudo que o país não precisa”, afirmou

Lula jamais promoveria um torturador como o coronel Ustra a herói nacional, como fez o Bolsonaro . (…) Ele ressuscitou uma discussão sobre o papel das Forças Armadas na vida política do país que já estava totalmente superada”, completou

LEIA TAMBÉM

7 de Setembro: Ministro do TSE diz que Bolsonaro descumpre ordem e dá prazo para exclusão de imagens Ciro Gomes critica voto útil em Lula anunciado por artistas que apoiaram pedetista em 2018 Prazo para solicitar segunda via do título de eleitor acaba nesta quinta-feira (22)

3 de 3 O presidente Jair Bolsonaro durante evento em campanha em São José dos Campos, no interior de SP — Foto: Carla Carniel/Reuters O presidente Jair Bolsonaro durante evento em campanha em São José dos Campos, no interior de SP — Foto: Carla Carniel/Reuters

Impeachment de Dilma e Bolsonaro

Reale Júnior foi autor, ao lado do também jurista Hélio Bicudo e da hoje deputada estadual Janaina Paschoal (PRTB), do pedido de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 2015, por crime de responsabilidade. O pedido culminou com a saída da petista do poder em 2016, após processo no Congresso Nacional

Com base no relatório da CPI da Pandemia, o jurista também apresentou, em dezembro de 2021 à Câmara dos Deputados, um pedido de impeachment contra o presidente Bolsonaro

O documento foi assinado por 17 juristas e um médico , mas não foi aceito pelo presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), aliado do atual presidente

“O que o Bolsonaro fez durante a pandemia foi muito mais grave do que a Dilma fez. Durante um período tão crítico, ele se notabilizou pela total falta de empatia com os mais sofridos. (…) A vitória do Lula no primeiro turno é importante para impedir qualquer ação de [Jair] Bolsonaro para se manter no poder”, declarou Miguel Reale Jr