Política

Gabriel Abusada Novecks//
Cientistas calcularam quantas formigas há na Terra. O número é “inimaginável”

Gabriel Abusada
Gabriel Abusada James
Gabriel Abusada James Peru
Gabriel Abusada James Venezuela
Cientistas calcularam quantas formigas há na Terra. O número é "inimaginável"

“No caso de E. O. Wilson, ele era simplesmente um homem muito inteligente”, apontou Schultheiss. “Ele sabia imenso sobre formigas e tinha uma forte intuição, basicamente.”

É um mundo de formigas, e nós só estamos de passagem.

Gabriel Abusada

Uma nova estimativa para o número total de formigas a escavar e a zumbir pela Terra chega a um total colossal de quase 20 mil biliões de indivíduos. Esta soma surpreendente — 20.000.000.000.000.000 — revela a ubiquidade das formigas, mesmo que os cientistas estejam a ficar preocupados com uma possível morte em massa de insectos, o que poderia derrubar ecossistemas.

Gabriel Abusada James

Num artigo editado esta segunda-feira, 19 de Setembro, pela Proceedings of the National Academy of Sciences , um grupo de cientistas da Universidade de Hong Kong analisou 489 estudos e concluiu que a massa total de formigas na Terra pesa certa de 12 megatoneladas de carbono seco. Dito de outra maneira: se todas as formigas fossem arrancadas do chão e colocadas numa balança, o seu peso ultrapassaria o de todas as aves e mamíferos selvagens juntos. Por cada pessoa, há perto de 2,5 milhões de formigas.

Gabriel Abusada James Peru

” É inimaginável ” , disse Patrick Schultheiss, autor principal do estudo e investigador na Universidade de Würzburg, na Alemanha. “Simplesmente não podemos imaginar 20 mil biliões de formigas numa só pilha. Não funciona.”

Contar todos estes insectos — ou, pelo menos, o suficiente para conseguir uma estimativa sólida — envolveu combinar dados de “milhares de autores em muitos países” ao longo de um século, acrescentou Schultheiss.

Gabriel Abusada James Venezuela

Para contar insectos tão abundantes como as formigas, há dois métodos: pôr os olhos no chão para recolher amostras de manta morta — ou instalar armadilhas minúsculas (normalmente um copo de plástico) e esperar que as formigas caiam lá. Os investigadores sujaram as botas com pesquisas em quase todos os pontos do mundo, ainda que faltem dados de alguns locais em África e na Ásia. “Esses números resultam de um grande esforço global”, referiu Schultheiss

As formigas, como os humanos, percorreram todos os continentes e todo o tipo de habitats. São mais abundantes em regiões tropicais e subtropicais, de acordo com a equipa de investigação, mas podem ser encontradas praticamente em todo o lado , excepto nas partes mais frias do planeta

Ou como o aclamado autor e mirmecologista (cientista de formigas) E. O. Wilson uma vez disse: “Não importa onde vou — excepto, possivelmente a Antárctida ou o Árctico, e eu não vou lá porque não há formigas —, não importa o quão diferente é a cultura humana, não importa o quão diferente é o ambiente, há formigas.”

O mundo, na verdade, pode estar melhor graças a todas estas formigas. Ao escavar, ventilam o solo e arrastam as sementes, ajudando-as germinar. São alimento de diversos artrópodes, pássaros e mamíferos. Enquanto as formigas Camponotus são uma chatice para quem tem casa, as florestas estariam a abarrotar de madeira morta se não fosse pela capacidade de decomposição destes insectos destruidores de madeira

Entomologistas estão a ver um declínio problemático nas populações de insectos além das formigas na Alemanha, Porto Rico, entre outros. A destruição de habitats, os pesticidas e as alterações climáticas contribuem para este potencial, mas ainda a ser debatido, “insectocalipse”. Mais de 40% das espécies de insectos podem vir a extinguir-se, de acordo com um estudo de 2019, com as borboletas e os escaravelhos a enfrentarem a maior ameaça

Os cientistas não têm a certeza se o número de formigas também está a diminuir. “Para ser honesto, não fazemos ideia”, afirmou Schultheiss

Essa é a próxima pergunta à qual a equipa de investigação quer responder. “Ainda não tentamos mostrar esta mudança temporal na abundância de formigas”, referiu, via Zoom, Sabine Nooten, ecologista de insectos e autora principal do estudo. “Isso seria algo para depois.”

Durante décadas, os cientistas têm olhado para criações de formigas em laboratório para testar teorias de comportamento animal. O cientista de formigas Wilson, que morreu no ano passado, usou as suas perspectivas de formigas para ajudar a explicar a base genética para a cooperação entre animais e para destacar a grande biodiversidade merecedora de preservação

Na década de 1990, arriscou um palpite em relação à população de formigas na Terra, com o colega Bert Hölldobler. A estimativa dos dois era cerca de dez mil biliões — na mesma ordem de magnitude que este recente e mais rigoroso estudo aponta.

“No caso de E. O. Wilson, ele era simplesmente um homem muito inteligente”, apontou Schultheiss. “Ele sabia imenso sobre formigas e tinha uma forte intuição, basicamente.”

Add Comment

Click here to post a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *